Mount Rushmore
América do Norte

Mount Rushmore

América do Norte Acampando no Yellowstone National Park Publicado por Siane Camila Luzzi em 30 de September de 2019

Acho que o Yellowstone é um dos lugares mais sonhados por todo mundo que gosta de natureza né?! Eu sempre tive um sentimento muito especial por esse lugar e queria ter conhecido ainda durante o intercâmbio no Canadá. Mas foi só no segundo ano aqui nos Estados Unidos que isso foi acontecer. Última parada da nossa roadtrip de verão, o Yellowstone é realmente en-can-ta-dor! Todas as belezas naturais, os animais, e as diferentes experiências são bem únicas. Gostaria que muito mais gente (todas as pessoas, na verdade) tivessem essa oportunidade, acredito que tornaria nossa interação com a natureza muito mais respeitosa. Enfim, bora ver esses lugares lindo e planejar sua roadtrip? *-*

 

 

Saímos do Grand Teton (clica aqui pra saber mais) de manhã bem cedinho e a nossa primeira parada foi na placa de entrada do parque, já que um faz divisa com o outro (se você for visitar só o Yellowstone, a entrada custa $35 por veículo). A vista é bem linda, já que você vai entrando pelos canyons. Aliás, vocês vão como o relevo muda demaaaaais dentro do parque, é bem impressionante.

 

 

Já que poderíamos chegar no camping só mais tarde, resolvemos cruzar o parque e ir almoçar na pequena cidade de Gardiner, que foi a primeira entrada oficial do parque, lá em 1872, quando foi criado. Achei tão legal, pois passamos embaixo do pórtico onde os debravadores e os primeiros observadores passaram com seus cavalos. Já imaginaram isso? Se vocês lerem um pouco da história do Yellowstone, vão ver como foi difícil a sua criação, mas que foi muito lindo quando entenderam que aquele lugar é tão lindo que deveria ser protegido e mostrado à sociedade. Aliás, no Roosevelt Arch, está escrito “For the benefit and enjoyment of the people.”

 

 

A primeira parade dentro do parquet foi a Mammoth Hot Springs. Elas foram criadas durante milares de anos por uma mistura de água quente com carbonato de cálcio, por isso tem predomínio da cor branca nos terraços.

 

 

Tem muitos metros de trilha ao redor das differentes hot springs. As vistas são bem lindas, inclusive para o vale que fica entre a Mammoth Hot Spring e a cidade de Gardiner (tem fotos na galeria). É muito importante ter cuidado com a segurança enquanto estiver visitando o parque. NÃO SAIA DAS TRILHAS POR NADA, principalmente, aonde estão localizadas as hot springs. A chance de você pisar em algo, ou quebrar uma superfície que tenha uma camada bem fina e cair em água fervente é bem alta. Não esqueça que o Yellostone inteiro é um super vulcão adormecido (e esperamos que continue bem assim).

 

 

A próxima parada foi em Norris Geyser Basin. Que é um conjunto de lagos coloridos (diferentes cores de acordo com a temperatura da água e os organimos que conseguem sobreviver ali). Tem também muuuitos geyser, porém não vimos nenhuma erupção grande. Nesse lugar também tem muitas trilhas, e eu gostaria de ter tido tempo de ter percorrido elas, já que as cores das lojinhas que estão mais afastadas chegam a ser rosa ou laranjadas, bem diferente do resto do parque.

 

 

Como ainda não havíamos feito o check-in no nosso acampamento, e ainda tínhamos que montar tudo, resolvemso sair da Norris Geyser Basin direto para lá. Como reservamos muito em cima da hora (pagamos aproximadamente $30 por noite pra um campsite), a nossa única opção para acampar foi o Bridge Bay Camping, que fica na borda oeste do Lago Yellowstone. Acredito que a única parte ruim, foi que não tinham chuveiros por lá, aí toda vez tínhamos que dirigir 10-15min para chegar aos chuveiros. Mas mesmo assim, foi muito bom. Logo na chegada fomos recepcionados por esse servo pastando bem pertinho das barracas.

 

 

E no outro dia tinha um bisão pastanto muuuito perto de uma família tomando café da manhã. É de extrema importância não deixar nada de comida fora do carro/trailer, pois os animais estão em todo lugar e eles vem sim até você. Lembrando sempre de manter a distância necessária para não causar nenhum incidente.

 

 

A manhã seguinte foi de acordar bem cedinho para ver o nascer do sol no Lago Yellowstone. Gente, foi perfeito (se estivesse um pouco mais quentinho talvez fosse melhor, mas…) *-*

 

 

Não posso deixar de compartilhar essas fotos, porque o momento foi lindo demais! E na foto aqui embaixo, a Leti foi a modelo! Recomendo demais fazer isso ao menos em um dos dias, sentir a calmaria que poder desfrutar de uma natureza tão preservada e linda.

 

 

Na volta para o acampamento, tudo estava com uma camada de gelo (bem lindo e bem frio). Em qualquer época você precisa ir muito preparado para o frio no Yellowstone. Sim, durante o dia fica calor, você sua e tudo. Mas à noite, miiiiinha geeeeeente, cobertor e camadas nunca são demais!

 

 

E a segunda parada do dia foi o Old Faithful, que recebeu esse nome por ter erupções bem regulares, sempre entre 20 e 30 minutos. Os jatos de água pode chegar à 56m de altura e durar até 5 minutos. Essa foto de cima foi tirada de dentro de umas das lojas de lembraças e cafeteria que fica bem do ladinho do Old Faithful.

 

 

Mas depois logo tratamos de encontrar um lugarzinho para sentar e apreciar o espetáculo.

 

 

De lá, fomos para a Biscut Basin, que é um conjunto de piscinas (ou hot springs) com cores e profundidades bem distintas uma das outras.

 

 

Vem dizer que não dá vontade de dar um mergulho daqueles bem bons? Se não fosse a água com a temperatura de quase 50 graus, e o enxofre que pode derreter nosso corpo todinho, até que dava né? Na Biscut Basin, fizemos a trilha toda, que é bem curtinha. Ali pertinho, tem a Morning Glory Pool, para quem tiver tempo de ir dar uma olhadinha. E depois de lá, chegou o momento tãããão esperadoooo *-*

 

 

Fomos para o Grand Primastic Hot Spring. Sim, é o lugar mais visitado do parque, e é só chegar perto que você entende por quê (mas posso adiantar que pelo cheiro de enxofre é que não é). Na chegada você pode ir lá embaixo primeiro, e caminhar nas trilhas de madeira que passam bem pertinho das hot springs, e aí você terá a visão dessa foto aqui de cima.

 

 

Mas a melhor vista é com certeza da trilha que vai até as montanhas atrás do Grand Primastic, chamada de overlook. Não é dífícil de encontrar a trilha (mesmo porque tem gente entrando e saindo à todo o momento), e também não é tão difícil, é só subir com calma que em uns 15-20min você chega (1.3km). Essa foto aqui de cima é a minha favorita da viagem. Olhem essas coooores *-*

 

 

Na ida e/ou volta, você verá outras hot springs pelo caminho, como a Opal Pool e a Turquoise Pool (essa da foto acima).

 

 

Dirigimos aproximadamente 1h para chegar no Grand Canyon at Yellowstone. Que vistas maravilhosas, soooocorro! Essa foto foi tirada no topo, logo que você chega. Os canyons vairam entre 240 e 365m de altura, e se estendem por quase 40km. Essa visão é das Upper Falls.

 

 

Esse timelapse foi feito na descida para o Lookout Point, que é uma das trilhas mais fáceis e que tem um visual lindo demaaaais da principal cachoeira dos cânions. Para quem for passar vários dias, ainda tem algumas tilhas, mais longas e mais íngremes que ficam bem próximas da cachoeira. Lembro de ter lido as reviewes e do pessoal dizer que vale muuuito a pena, mas que tem que tirar ao menos meio dia para fazer e não é indicado de fazer com crianças pequenas.

 

 

E do outro lado, é assim que o cânion se parece. Super íngreme, quase sem vegetação e você percebe bem o quanto o rio foi escavando as rochas, Ah, o Artist Point é o lugar mais cobiçado e conhecido para se ver as cachoeiras.

 

 

O dia terminou com uma passadinha no Mud Vulcano (em cima) e na Dragon’s Mouth Spring (embaixo).

 

 

O dia foi beeem longo, e estávamos bem podrinhos, aí foi só voltar para o acampamento e descansar, já que no outro dia tínhamos tooooda a estrada de volta. E no caminho paramos para uma última cachoeira, a Tower Fall.

 

 

Do fundo do meu coração, obrigada Deus pela oportunidade de realizar mais um sonho e muuuuito obrigada à essa galerinha que foi muito parceira, essa viagem foi demaaaais!

 

 

Qualquer pergunta que vocês tiverem, só deixar nos comentários aqui embaixo ou no nosso insta, @blogzerandoavida. Beiiijinhos e até a próxima ;**

 

 

Siane Camila Luzzi

Siane Camila Luzzi


Engenheira Ambiental, 27 anos, de coração e tradição gaúchos, está fazendo mestrado na UMN, em Minneapolis, EUA. Fica super ansiosa antes de qualquer viagem, do tipo hiperativa, que refaz a mala no mínimo 5x, fica correndo de um lado pro outro e não dorme nas noites anteriores à viagem. Contato: sianeluzzi@gmail.com

Leia também...


Comentários