Mount Rushmore
América do Norte

Mount Rushmore

América do Norte Badlands National Park Publicado por Siane Camila Luzzi em 27 de January de 2019

A visita foi rapidinha, mas deu para apreciar um lindo nascer do sol nas Badlands. Esse parque nacional americano fica no estado da Dakota do Sul, mas o mesmo tipo de formação rochosa também pode ser encontrada em Nebraska, Dakota do Norte e em Alberta (Canadá). Vamos conhecer mais um pouquinho juntos?

 

 

Na verdade esse post é o primeiro da roadtrip que fiz com amigos no fim de agosto e início de setembro de 2018. Prometo que vou demorar o menos possível entre um post e outro, já que passamos por diversos lugares maravilhosos, como o Grand Teton National Park e o Yellowstone *-*

 

 

Saindo de Minneapolis às 18h, dirigimos por aproxidamente 7h30min e deu tempo de fazermos um soninho no carro na entrada do parque. Inclusive, se vocês forem dirigir esse tanto e forem chegar de madrugada, aconselho a deixar o carro abastecido o máximo possível, pois é dificil encontrar posto de gasolina aberto perto do parque e se forem fazer um soninho, o ar condicionado vai precisar ficar ligado, porque é frio viiu :X haha Lembrem de levar uns lanchinhos também.

 

 

Mas vale a pena o friozinho, e o soninho faz bem viu! Principalmente para nós, que tinhamos mais 16h dentro do carro pela frente! E fomos presenteados com esse nascer do sol lindão! A entrada do parque custa $25 para o carro e $15 para motocicletas. No nosso caso, compramos o passe anual para parques nacionais. Nos custou $80 mas temos acesso à qualquer um dos parques durante o ano. Na verdade, o passe já se pagou só nessa viagem.

 

 

As formações rochosas encontradas das Badlands foram muito erodidas pelo vento e pela água com o passar do tempo. Não são terras férteis, pois são muito áridas e recebem pouca chuva. Ao serem atravessas pelas primeiras vezes pelos franceses, foram consideradas de difícil acesso.

 

 

Às vezes passando apenas 2 ou 3km você já notará a diferença na coloração das rochas e no tamanho das camadas de deposição dos sedimentos. Logo que cheguei, a impressão que tive foi de um mini Grand Canyon (observem bem a primeira ou a última foto).

 

 

O parque tem a maior extensão de pradarias protegidas pelos Estados Unidos. O parque em si não é muito movimentado, e estivemos lá durante um pré-feriado. Porém são muitos os trailers com famílias completas que você vê por lá. É uma ótima opção para uma parada de alguns dias. Quando forem fazer as fotos ou se estiverem viajando com crianças, atentem muito aonde estão pisando. O arenito é bem solto e levar um tombo não é muito difícil.

 

 

A nossa passagem pelo parque foi relativamente rápida, ficamos por umas 3h no máximo. Apreciamos o nascer do sol, fizemos umas caminhadinhas e tiramos muitas fotos. Foi bem agradável sermos quase os únicos acordados e visitando o parque. Quem fica mais tempo, consegue fazer mais trilhas e até ver fósseis que ainda estão por lá, e são datados com até 35 milhões de anos. E parece que os primeiros humanos chegaram por volta de 11mil anos atrás.

 

 

Gente linda, acho que era isso que eu tinha para contar hoje. Espero que vocês tenham gostado. Quero agradecer muito às minhas parcerias de viagem, Gabriel, Letícia, Luiz e Léo 😀 vocês vão aparecer muito aqui pelo zerando haha Dão uma olhadinha na galeria, vou deixar mais fotos por lá! E até a próxima parada, Mount Rushmore ;D não esqueçam de checar nosso insta, @blogzerandoavida beijinhos ;**

Siane Camila Luzzi

Siane Camila Luzzi


Engenheira Ambiental, 27 anos, de coração e tradição gaúchos, está fazendo mestrado na UMN, em Minneapolis, EUA. Fica super ansiosa antes de qualquer viagem, do tipo hiperativa, que refaz a mala no mínimo 5x, fica correndo de um lado pro outro e não dorme nas noites anteriores à viagem. Contato: sianeluzzi@gmail.com

Leia também...


Comentários